Sim, pode ser mesmo sustentável em casa...

Até ver, não há planeta B e por isso, está na hora de arregaçar mangas e sermos mais responsáveis se queremos mesmo ter um futuro. E sem desculpas.
Por: Margarida Moura

A verdade é mesmo esta: até ver, não há planeta B e por isso, está na hora de arregaçar mangas e sermos mais responsáveis se queremos mesmo ter um futuro. E sem desculpas, porque o tempo não pára e há muito para fazer. E não, não lhe vou dizer para ler cerca de 456 teses, nem ver 790 documentários. Vou mesmo falar em termos práticos, com coisas simples que pode começar já hoje a fazer em casa.

Sim, leu bem, pode mesmo fazer em casa! E se lhe disserem que é um disparate porque está tudo na mão dos politicos e que um pequeno gesto em casa não chega, responda (ou pense para si, pelo menos) que se toda a gente fizer um “pequeno gesto”, ainda conseguimos criar um “monstro”, mas em bom. Um “monstro verde”, vá, mas de sorriso simpático e olhos esperançosos no futuro.

Está comigo e alinha em começar já hoje?

Tome nota de algumas dicas, então:

- “Destralhe” – e por “destralhar” não significa deitar tudo fora. Nada disso. Separe o que tem mesmo que ir para o lixo (porque está partido ou sem salvação possível), do que pode ser dado a familiares, amigos, instituições. Lembre-se que o que para si deixou de ter valor, pode muito bem ser uma relíquia para outra pessoa;

- Organize a sua casa e faça listas do que realmente precisa para viver (pergunte-se se precisa mesmo de comprar ou se é um “capricho” que passa nos dias seguintes. Se for, é porque não precisa... Simples.);

- Planeie as suas refeições e opte por produtos biológicos, de produção local e não exagere nas quantidades;

- Coma menos carne. Não se trata de uma moda polémica. Está mesmo provado que a produção de gado origina um elevado número de emissões poluentes e, por isso, as dietas ricas em carne têm mais impacto no ambiente;

- Compre o que precisa a granel, ou seja, na quantidade que precisa para evitar o consumo exagerado;

- Reduza (ou elimine) os plásticos de casa. Use sacos de pano para ir às compras, use recipientes de vidro que podem ser reutilizados para mais do que uma utilidade ou produto, leve talheres de casa para o trabalho, caso seja adepto da “marmita”, deixe as palhinhas de lado e beba directamente do copo;

- Economize água: enquanto lava os dentes, toma banho ou lava a louça feche a torneira para não desperdiçar;

- Não deixe aparelhos eléctricos que não usa ligados à corrente;

- Tenha plantas em casa para melhorar a qualidade do ar;

- Ande mais a pé ou de bicicleta. Caso more longe do trabalho, opte por transportes públicos ou “invista” em fins de semana mais verdes, passeando a pé com a família e aproveitando o que a sua área de residência tem para oferecer. Se calhar, vai fazer grandes descobertas;

- Dê o exemplo e passe a palavra. Aos miúdos, à família, aos amigos, aos colegas, aos vizinhos, à comunidade. Pode sempre inspirar mais alguém a dar estes pequenos passos também. Que é o que se pretende.

Aposto que no fim do dia se vai sentir mais leve porque o peso de um planeta doente ninguém quer carregar às costas, certo? Logo vi que concordava comigo!

Veja também

Recomendamos