A m80 em Direto

07h às 11h
Gonçalo Palma
15 junho 2021, 07:00
Partilhar

Primeiro álbum dos Duran Duran saiu há 40 anos

DR - da capa do álbum Duran Duran, de 1981
Disco homónimo semeia a Duran Duran mania que se viveria em Portugal logo a partir de 1981.

A 15 de Junho de 1981, há precisamente 40 anos, os Duran Duran lançavam o seu primeiro álbum. O disco homónimo é um tiro aos ouvidos certeiro. Os Duran Duran mostravam-se logo como uma banda talhada para o sucesso, mas em que as armas eram acima de tudo musicais. O álbum é um fenómeno de vendas mundial. 

A ambição, a atitude e a inocência levaram-nos a um sucesso de elevada escala. Sem que a banda tenha tido tempo para amadurecer, já tinha o mundo a seus pés, incluindo mais tarde a América. O single de estreia, 'Planet Earth', tinha sido o primeiro aviso do que o álbum consumaria: um abanão pop multiplicado por nove faixas.


 
Nessa onda de loucura à volta dos Duran Duran, os vídeos também desempenharam uma importância grande, numa altura em que a MTV estava a aparecer.  
 
Há um vídeo mais polémico que gera dois efeitos adversos no tema em causa, 'Girls on Film'. A polémica da filmagem de mulheres despidas fez esquecer a mensagem da canção, que criticava o abuso sobre as jovens no mundo da moda. Ao mesmo tempo a controvérsia e a censura ao vídeo provocaram um aumento da fama aos Duran Duran. O vídeo nem sequer tinha sido pensado para ser passado na MTV, mas sim em discotecas que tinham ecrãs. 

Em baixo, o vídeo editado. 

 

Uma nova designação surgiu: a Duran Duran mania. Isto é, passou a haver comparações com a histeria juvenil que os Beatles viveram 20 anos antes. Se os Beatles eram os Fab Four, os Duran Duran passavam a ser conhecidos como os Fab Five. O trajecto entre a limusina e a entrada de hotel fazia-se sob a pressão de sons histéricos e de perseguições das fãs. As chegadas aos aeroportos eram também aparatosas e caóticas.   

Essa euforia seria sentida em Portugal, logo em 1981, em novembro, com os Duran Duran em carne e osso, no programa de televisão de Júlio Isidro, "O Passeio dos Alegres", em Lisboa.

 

Quando os Duran Duran regressaram ao nosso país, a loucura nacional à volta de Simon Le Bon (o vocalista) e dos seus companheiros era ainda maior. Em outubro de 1982, a banda já vinha para dar concertos, no Pavilhão Infante Sagres, no Porto, e no Pavilhão Dramático de Cascais. O vídeo em baixo reporta a concentração de fãs na espera pela banda de Birmingham no Aeroporto da Portela. Simon Le Bon parece embasbacado e sem conter o sorriso perante a histeria das fãs vivida logo à chegada. Houve corrida de admiradoras atrás do autocarro usado pela banda, à saída das imediações do aeroporto. O locutor da peça em baixo fala num concurso que cinco fãs portuguesas ganharam, em que o prémio era jantar com a banda e celebrar a noite numa boîte de Lisboa.  

 

Nessa altura, em 1982, a banda inglesa vivia já o ciclo promocional do álbum sucessor de Duran Duran, "Rio", que cimentava ainda mais o sucesso planetário do grupo, sem que fossem necessários exibicionismos para mostrarem os seus trunfos musicais.
 
As canções de "Rio" tinham um encanto mais tropical e exótico, num álbum mais pop e mais macio e ao mesmo tempo mais complexo. 

Essa segunda visita dos Duran Duran a Portugal incluiu, claro está, nova presença no programa de televisão de Júlio Isidro. Os agudos ruidosos das fãs levaram mesmo Simon Le Bon a interromper a entrevista a Júlio Isidro para ralhar em tom de brincadeira: "deixam-me ao menos terminar o que tenho para dizer?". 

 

Nessa altura, os Duran Duran eram formados pelo vocalista Simon Le Bon, pelo teclista Nick Rhodes, pelo baixista John Taylor, pelo guitarrista Andy Taylor e pelo baterista Roger Taylor. 


 

RÁDIOS DIGITAIS